Notícias


Júlio anuncia que Paulo Guedes irá converar com Bancada do Nordeste


O deputado Júlio César (PSD-PI), coordenador da Bancada do Nordeste, afirmou nesta quarta-feira, 11, que o próximo encontro promovido pelo colegiado será com o ministro da Economia, Paulo Guedes, no próximo dia 25. Na oportunidade, “vamos debater os problemas brasileiros, mas acima de tudo a reforma tributária”, comentou.

A declaração do pessedista piauiense aconteceu após a reunião realizada na manhã desta quarta-feira no restaurante do 10º andar do Anexo IV da Câmara do Deputados oportunidade em que falaram aos parlamentares nordestinos os dirigentes do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Romildo Rolim, e da Companhia nacional de Abastecimento (Conab), Newton Araújo da Silva Jr.

“Quero dizer da minha satisfação em concluir uma reunião e programar a segunda para o dia 25, possivelmente com o ministro da Economia. Onde nós vamos debater os problemas brasileiros, econômicos, sociais, o pacto federativo, a repercussão da reforma da Previdência que já aprovamos aqui nesta Casa e que vai ser aprovada lá no Senado, mas – acima de tudo – a reforma tributária”, contou.

“Essa reforma tributária que é a grande expectativa do povo brasileiro, dos seus agentes, dos 5.171 prefeitos, dos 27 governadores. Mas, acima de tudo, uma reforma que prevê um funcionamento que possa diminuir a diferença entre ricos e pobres. E a região Nordeste, a mais pobre [do país] e que tem 56 milhões de habitantes com menos da metade da renda per capita, estamos aqui trabalhando com apoio de 151 deputados para juntos fazermos um grande trabalho para fortalecer a nossa região e, consequentemente, melhorar a vida do povo nordestino”, complementou.

Volta CPMF

Questionado sobre as recentes declarações do ministro da Economia com o retorno da Contribuição Permanente sobre Movimentações Financeiras (CPMF) travestido de Imposto sobre Transações Financeiras (ITF), o coordenador da Bancada do Nordeste assinalou que a possível tributação pode até voltar, mas sem que isso represente uma ampliação da carga de impostos.

“O ministro, na reforma [tributária estudada pelo] governo, quer recriar a CPMF com a taxa de 0,2% e que pela projeção do Valor Econômico vai chegar a R$ 150 bilhões. Mas ele quer desonerar a folha e também as isenções do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF). Então, vai tirar para um lado e colocar de outro”, observou.

“Agora o que nós queremos e pedimos ao [Marcos] Cintra, [então] secretário da Receita [demitido na tarde desta quarta], essas contas. O que tira e o que sai para saber o que é maior para a gente tomar uma posição. Mas eu acho importante a recriação da CPMF com outro nome, mas acima de tudo as desonerações, principalmente, da folha para gerar emprego e renda e, consequentemente, crescer o nosso país. Mas não pode aumentar a carga tributária atualmente existente em nosso país”, completou.

Ideias isoladas

Sobre a pretensão do ministro Paulo Guedes de privatizar todas as estatais, Júlio César destacou que isso são apenas “ideias isoladas do ministro”.

“Isso são ideias isoladas do ministro. Mas ideias isoladas de ministro, às vezes, dentro de uma República Federativa não funciona. Porque a pressão política é muito grande. Principalmente no Nordeste em que nós temos quase um terço da bancada aqui na Câmara federal. Nós temos 151 deputados e que o governo precisa. Sou da base. Sou aliado do governo. Mas, acima de tudo, desta aliança que eu tenho com o governo, tem os interesses do Nordeste”, encerrou.


Fonte: Bancada do Nordeste